Por que desistimos???

Publicado: 7 outubro, 2008 em pensamentos
Tags:, ,
Eu não sei o que há que é tão dificil entre meninos e meninas.
O que eu quero dizer é que as vezes nada parece se acertar. A menina conheçe o cara numa festa, acha bonito, atraente, paquera com ele, senta, conversa, acha inteligente, com uma boca bonita, um cheiro gostoso… eles se beijam, trocam telefones, se encontram depois, e depois e depois. Logo estão sempre juntos, e então estão namorando.
Então começa: não quer que ele fume mais. Por favor, beba menos. Odeia a maioria dos amigos dele, reclama das roupas, do futebol ou do carteado, dos palavrões. Ele se torna chato, ou é um mulherengo; preguiçoso ou festeiro demais.
O cara conheçe ela na night. Linda, daquele jeito dela especial e particular ela chama sua atenção. Então lá vem aqueles momentos crucias de aflição, o primeiro contato, tocar na sua pele, sentir seu perfume, a cor do batom naqueles lábios provocantes, o detalhe do decote ou uma alça do vestido displicentemente caida… tudo nela o atrai, estiga e excita. Ela é inteligente e engraçada. Tudo rola naturalmente e depois de alguns dias aquela maravilhosa mulher está constantemente (para seu orgulho) ao seu lado, em jantares, cinema, nas baladas e até nas reuniões familiares. Então é isso, vocês tem um compromisso.
Mas então os vestidos dela são muito curtos, e ela bebe demais pra uma mulher. Ela fala sem parar e ri demais por qualquer coisa. Te liga sem motivo realmente importante e te compra roupas que não combinam com você, e por mais que ela saiba disso continua comprando! Ela é muito bagunçeira e desorganizada, a depois de um tempo até as coisas que vocês tinham em comum parecem desaparecer. Sinceramente, ela deixa você louco às vezes.
É nessa hora que eu penso: quando é que a gente deixa de acreditar no “nós”? quando é que a gente desiste “da gente”?
As pessoas são o que são, e elas vão ser aquilo sempre, nossa essência não muda. Podemos mudar uma opinião ou outra, a cor do cabelo, partido político, comida preferida, o vestuário… o superfulo, o externo, pois o que temos dentro de nós, aquilo que nos constrói, que nos faz diferentes uns dos outros… isso não muda.
E então por que deixamos de querer alguém que outrora nos fez tanto bem, proporcionando tanta felicidade. Por que em um determinado momento nós, de alguma forma, nos esquecemos de todos os detalhes, nós vamos nos esquecendo das pequenas coisas que tornaram ele ou ela especial. O jeito de sorrir, a maneira de passar os dedos pelos cabelos ou o péssimo jeito de contar piadas. Aquele abraço que parecia parar o mundo e o frio na barriga que dava só em pensar em seus beijos. A lágrima compartilhada e que ninguém mais viu, e aqueles segredos que foram confidenciados nos momentos mais ternos. Tudo o que faz a nossa história com alguém é importante, pois são os “mínimos” que fazem do outro especial.
Depois de um tempo juntos você vai ver que a cara metade também é cheia de defeitos e manias, que as vezes pode ser mesmo irritante e sem graça, com amigos bobos que dão péssimos conselhos. Que pode sair despenteada às vezes e sem maquiagem, que se estressa e tem tpm. E que em uma sexta-feira não muito boa pode beber demais e falar mais do que deveria também… mas olhe, olhe bem: ainda é ele, ainda é ela. E se você olhar bem no fundo ainda vai poder ver tudo aquilo que te fez apaixonar.
Não desista só porque as coisas estão ficando um pouco dificeis, não abra mão do que foi e ainda pode continuar sendo maravilhoso, porque nada na vida é fácil e nada vem fácil. Aquilo que vocês construiram, o que deixaram para trás e os planos de amanhã, as lagrimas e a felicidade vividas, isso faz o que são hoje. Ninguém vira um chato ou chata do dia pra noite, a gente simplesmente desiste de enxergar o belo e começa a reparar em outras coisas que também estiveram sempre ali, mas fingiamos não ver, não incomodava… porque acreditavamos na força da paixão, no algo mais, no divino que era estar juntos.
Eu não quero desistir do amor, do meu amor. Eu quero poder olhar e ainda ver o mesmo que me fez apaixonar com seu violão, com tons, semitons e todas as suas cores… pois todos nós temos nossos vícios e virtudes, mas apesar de tudo quero acreditar que tem que valer a pena fechar os olhos por alguém e lembrar de uma vida toda (já vivida ou ainda por vir). Eu quero poder ficar velhinha e, andando de mãos dadas com meu velhinho vendo mais um por-do-sol me sentir boba, especial e a mais sortuda entre todas porque apesar de seus roncos e rabugices ele me traz felicidades sem fim.
Anúncios
comentários
  1. Anonymous disse:

    vc escreve mt bem…
    parabéns linda!

  2. Bah.. muito bom o que tu escreveu. Adorei 😉
    Quando puderes visita nosso blog, falamos sobre nosso namoro ;}}
    Beijos, Bruna

  3. luh disse:

    cacete!
    esse é o meu caso.
    mas no meu caso, o rato do meu ex não soube suportar minha tpm.
    não levou em consideração que eu sou a mesma pessoa que ele era apaixonada a apenas uma semana antes de eu ficar louca e stressada.
    aff.
    fazer o q. mereço alguem q suporte as pequenas coisas da vida.
    beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s