(sem) Sentido

Publicado: 31 janeiro, 2009 em Minhas Cores
Tags:,
Eita que hoje estou enfadada, enjoada, mal-amada, amargurada, de alma rasgada. Noites assim são ótimas pra escrever.
Escrever de nada, de tudo sem sentido porque tudo que vem é sentido. Sentido como único, como o último.
Eita que hoje a noite estou inspirada, abençoada, maravilhada, apaixonada. Noites assim são ótimas pra escrever.
Escrevo de tudo que me faz sentir, sentido pra fora do jeito como sinto dentro do peito. Vai saindo e rasgando.
Se você não entende, me desculpe eu não quero me fazer entender.
Escrevo pra mim e não pra quem quiser ler. Não pra agradar ou açoitar.
Escrevo no escuro do quarto onde as palavras vem como morcegos cegos sem bater nas paredes dessa caverna.
Quando faço isso, faço disso minha verdade. Da mentira surge a liberdade e do meu jardim passeio na cidade nua e fria.
Me deito e me levanto, já não fecho os olhos. Jã não estou aqui, não estou aí, já não estou nem aí.
Agora, exatamente agora, acabei de dominar o mundo com meus pés de vento e meu cavalo alado.
É estranho pra você? Você também é estranho para mim.
Na minha casa não tenho espelhos, posso me ver através de outros olhos, os olhos do cego que pede a esmola que eu nego.
Mas o dia vem vindo, e eu fecho os olhos, pois sei que o tapete mágico já voou.
E eu, aqui do meu quintal só vejo as cercas que me separam dos muros, do mundo.
Thayane Reis.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s