Publicado: 8 abril, 2013 em pensamentos
Tags:

E eu que nunca tive medo de morrer, sempre esperei essa companhia cedo, desde muito pequena…

E eu que nunca tive medo de deixar tudo…

E eu, de repente, tenho medo de ir. Medo de partir. Partir seu coração. Quebrar sua confiança.

Não posso agora. Não posso nem agora, nem amanhã, nem em 100 anos.

Não quero largar tua mão.

E então, por alguma razão sem sentido, de alguma forma, eu tenho medo de perder algo. E esse medo me faz, cada vez mais, querer fazer valer a pena.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s