Arquivo da categoria ‘pensamentos’

Publicado: 28 setembro, 2015 em pensamentos

Sem pensar. Nem (?) pensar.

 

Anúncios

Publicado: 11 outubro, 2013 em pensamentos

Viver é foda.

Crescer é difícil.

Publicado: 14 abril, 2013 em pensamentos
Tags:

Creme de abacaxi.

Doce de cupuaçu.

Suco de caju.

O ultimo pedaço da pizza.

 

E ele nem percebe. Ninguém percebe que, sutilmente, esse é meu jeito de dizer “te gosto”.

Publicado: 8 abril, 2013 em Minhas Cores, pensamentos
Tags:

 

– Eu aqui cheio de amor pra dar e tu só nesse celular – Disse ele, enquanto se virava de costas pra ela na cama.

– É o que, seu paranoico? Nem to no celular! – Responde com sorrisinho nos lábios.

(risinhos)

– Aí é??! Pois tome!!! – Ataca ela, com uma voz tentando colocar um tom de repreensão, enquanto abraça ele por trás, sentindo o cheiro dos cabelos dele entrando bem dentro de seus pulmões.

– Pode mandar vários desses aí! – Ele.

(suspiros)

Publicado: 8 abril, 2013 em pensamentos
Tags:

E eu que nunca tive medo de morrer, sempre esperei essa companhia cedo, desde muito pequena…

E eu que nunca tive medo de deixar tudo…

E eu, de repente, tenho medo de ir. Medo de partir. Partir seu coração. Quebrar sua confiança.

Não posso agora. Não posso nem agora, nem amanhã, nem em 100 anos.

Não quero largar tua mão.

E então, por alguma razão sem sentido, de alguma forma, eu tenho medo de perder algo. E esse medo me faz, cada vez mais, querer fazer valer a pena.

Quando tudo parecia se acalmar,algo mudou.

Por mais que eu queira evitar aquelas palavras estão ecoando aqui. Um barulhinho irritante dentro da minha cabeça, fazendo crescer um qualquer coisa de medo (?).

Será que alguém pode me ensinar a não querer sair correndo?

 

“There’s still a little bit of your taste in my mouth
There’s still a little bit of you laced with my doubt
It’s still a little hard to say what’s going on

There’s still a little bit of your ghost your witness
There’s still a little piece of your face I haven’t kissed
You step a little closer each day
Still I can’t see what’s going on”
(Cannonball – Damien Rice)

 

 

Know that when you leave
By blood and by me you walk like a thief
By blood and by me I fall when you leave

So tell me when you hear my heart stop
You’re the only one that knows
Tell me when you hear my silence
There’s a possibility I wouldn’t know

So tell me when my silence’s over
You’re the reason why I’m closed
Tell me when you hear me falling
There’s a possibility it wouldn’t show

(Lykke Li – Possibility)

 

É isso, de alguma forma, eu continuo esperando aquele – adeus – chegar.

Publicado: 26 março, 2013 em Minhas Cores, pensamentos
Tags:

Ainda tem aqueles dias que tem cara de vida toda.

Nesses dias eu corro. Me escondo dentro de mim, na esperança de tentar me preservar.

Em vão, eu sei.

Publicado: 26 março, 2013 em pensamentos
Tags:

Até que ponto a verdade é benéfica?

Até que ponto dizer a verdade faz bem? E, se faz bem, pra quem o faz?

A sensação de alívio que a verdade traz nem sempre é compartilhada.

Sendo assim, a verdade pode se tornar uma pura expressão de egoísmo, egocentrismo.

… “eu preciso te dizer isso, pois vou me sentir melhor… mas você vai se sentir uma merda”

Mas assim, engole aí, porque é a verdade, e no final das contas é isso que interessa, não?

Ou será que a Tori Amos é que sabe das coisas e já está à frente do mundo a muito tempo?

“If you love enough you’ll lie a lot”

Suas verdades, por vezes, machucam. São duras. São críticas. Esmagam. Deixam um gosto amargo.

Suas verdades.

Suas.

.

 

Publicado: 20 março, 2013 em Minhas Cores, pensamentos
Tags:

E então, de repente “Amor”.